Diferença entre Gripe e Covid-19: Saiba tudo aqui

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

Apesar de tanto tempo vivendo na pandemia, o assunto sobre Covid-19 ainda provoca diversas dúvidas pela grande quantidade de informações sem fundamento circulando pela internet. Entretanto, você já deve ter ouvido falar que os sintomas do coronavírus são tão semelhantes quanto aos da gripe, mas você sabe quais são as diferenças e semelhanças entre os dois vírus? Também outros fatores como: formas de transmissão, tratamento e letalidade? Algumas características observadas pelo infectado podem auxiliar melhor a distinguir e facilitar o diagnóstico. Por isso, preparamos para você esse guia prático para tirar todas suas dúvidas e saber diferenciá-los. 



O que é a Covid-19?

A COVID-19 ou o Coronavírus é uma doença respiratória causada pelo vírus SARS-CoV-2, formada por uma família de vírus pertencentes ao coronavírus, que podem causar um resfriado comum até uma crise respiratória grave.

A transmissão da doença ocorre por meio de contato com o infectado, quando se espirra ou tosse as gotículas são eliminadas podendo contaminar outras pessoas. O mesmo acontece quando se toca em objetos após ter espirrado ou tossido e não lavado as mãos e então, outra pessoa encosta no mesmo objeto e leva a mão à boca, olhos e nariz.

Nessa família de vírus, também está o SARS-COV (Síndrome respiratória aguda severa), já havia aparecido em 2002 e causou uma pneumonia atípica, logo em 2012 apareceu o MERS-COV (Síndrome Respiratória do Oriente Médio) e agora, ao final de 2019, apareceu o SARS-COV2, inclusive o vírus é muito parecido com o vírus do SARS-COV. 

Quais os sintomas do Covid19?
A doença tem alguns sintomas característicos, tais como: febre, tosse seca e dificuldade respiratória. Entretanto, alguns infectados relatam constantemente dores no corpo, dor abdominal, diarreia e congestão nasal (sintomas similares ao de gripes e resfriados). No entanto, existem muitos casos de pessoas assintomáticas (pessoas contaminadas mas que não apresentam sintomas). Com tudo, a grande maioria de pessoas contaminadas pelo Covid19 conseguem se recuperar da doença sem tratamentos especiais, enquanto idosos, pessoas com comorbidades de pressão alta, obesos, pessoas com problemas cardíacos ou diabetes e gestantes, possuem alta probabilidade de desenvolver sintomas mais graves. O período de incubação (período entre o contágio e o surgimento dos sintomas) é de, aproximadamente, 14 dias.

O que é a gripe?

A gripe apesar de ser comum, é preciso tomar cuidado! Ela é causada pelo vírus influenza e seu quadro tende a ser mais grave do que um resfriado comum (rinovírus), que baseia-se somente em: mal estar, dor de garganta, nariz escorrendo ou entupido, espirros e tosse, mais comum em crianças, apresenta um quadro respiratório benigno e autolimitado, o tratamento é focado em regular a febre e aliviar os sintomas que geralmente são leves.

Entretanto a gripe, apresenta mal estar, dores na garganta, coriza, dor de cabeça, tosse e febre, porém a tosse pode prolongar-se por semanas. A gripe pode apresentar complicações graves, especialmente em crianças e idosos ou pessoas com baixa imunidade, em que  as complicações podem chegar a pneumonia.

A gripe se divide em três tipos de gripes ou vírus influenza, que infectam os seres humanos e são divididas entre: A, B e C.

  • Influenza tipo A: altamente mutável, possui vários subtipos. O mais conhecido é o H1N1 (gripe suína).
  • Influenza tipo B: infecta exclusivamente os seres humanos e também pode causar quadros e sintomas gripais mais graves.
  • Influenza tipo C: pode infectar humanos e suínos. Causa apenas infecções respiratórias brandas e não está relacionado a epidemias.

Qual o tratamento para a gripe?

São utilizados medicamentos antivirais (usados somente em casos de complicações) agora, em casos mais leves, são receitados medicamentos leves para controlar febre, dores no corpo e agilizar a melhora do coriza, pode ser indicado também vitaminas para ajudar no aumento da imunidade.

Como posso me prevenir da gripe?

A melhor e indispensável prevenção é a vacinação, são doses anuais, gratuitas para grupos de riscos, mas disponíveis também na rede privada para a população em geral. Também, evite mudanças bruscas de temperatura, aumente a quantidade de vitamina C, evite locais fechados, evite deixar a roupa molhada secar no corpo e evitar contato com pessoas gripadas.

Quais as semelhanças e as diferenças entre o covid 19 e a gripe?

Já sabemos que os vírus são diferentes, o vírus da gripe é a influenza dívida por alguns tipo, já o covid19 é causado por um tipo de vírus, mas tanto a gripe quanto o covid19 são transmitidos pelo ar (gotículas), saliva ou muco infectados, principalmente por tosse, espirro ou pelo contato da mão contaminada com olhos, boca ou nariz. Outra grande diferença entre os vírus é a taxa básica de reprodução: o coronavírus é mais contagioso e alguns estudos indicam que exige, no mínimo, 65 vezes mais hospitalizações.

A Covid-19, a maioria dos infectados, relatam que os primeiros sintomas foram (nessa sequência): febre, seguida por tosse acompanhada de dores no corpo. Já os pacientes da gripe comum relatam que o primeiro sintoma foi a tosse e depois a febre. Essa ordem pode ser um indicativo da diferença entre gripe e covid-19.

A gripe tem o período de incubação de 5 dias, enquanto o da Covid-19 são de 14 dias.Esse período é desde a contaminação até aparecer o sintoma, neste curto período, já pode ocorrer a transmissão de ambas as doenças. 


Qual é a taxa de letalidade da gripe e do covid-19?

A letalidade relacionada à Covid-19 é três vezes maior que a da gripe. Até os cálculos feitos no final de 2020, a Covid teve 16,9% dos pacientes hospitalizados, enquanto a gripe teve apenas 5,8%. Além disso, os internados em estado grave instalados na UTI foram de 16% do Covid contra 11% da gripe, os pacientes do COVID permaneceram 15 dias na UTI, quase o dobro dos pacientes da gripe, que permanecem apenas 8 dias.

Os casos mais leves foram a hospitalização de crianças pelo covid 1,4% e para a gripe 19,5% entretanto, apenas 0,9% de crianças pacientes da gripe precisaram de UTI e 2,3% dos pacientes do Covid-19 foram para a UTI e ficaram o dobro de dias.

A mortalidade relacionada à Covid-19 totaliza hoje 353 mil casos, somente no Brasil, sendo o maior índice. Já a gripe, leva menos de 0,1% a óbito. Algumas considerações podem ser feitas: a letalidade da Covid-19 é de acordo com a região do país e os dados dependem do acesso e da qualidade dos cuidados de saúde.

Um dos exemplos é a China, local onde o surto começou, a situação foi controlada com quarentena e construção de hospitais, o pico da epidemia passou e a taxa de mortalidade por paciente diminuiu, até o momento.

Qual a importância da vacina da gripe e da Covid19?

A vacina da gripe é necessária para evitar que você se contamine com outros vírus perigosos para a saúde, inclusive, evitar que duas epidemias possam ocorrer juntas, com a vacinação é possível facilitar o diagnóstico de quem desenvolveu a covid-19 e que possui sintomas semelhantes aos da gripe.

A gripe ainda provoca complicações na respirações, alguns casos podem ser graves, nada comparado ao número de casos graves da covid-19, mas ainda assim, os casos podem ocorrer principalmente em imunodeprimidos, idosos e pessoas com outras doenças (público bastante vulnerável também ao coronavírus)

A vacinação da gripe, imuniza possíveis casos gripais em que há necessidade de cuidados, aumentando a disponibilidade de leitos e justamente no momento mais críticos que nós estamos, é necessário o menor número de possíveis doentes com outros vírus.

Já a vacina da Covid-19 foi registrada no dia 11/04/2021, 13.445.006 pessoas infectadas desde o início da pandemia, cerca de 6% da população brasileira. Hoje o que mais preocupa e temos dúvidas é o que muda caso alguém que já teve o vírus e logo após tomar a vacina, o ideal é que quem já teve a covid-19 espere ao menos um mês antes de tomar a vacina contra a doença. Esse intervalo é contado a partir de 14 dias depois do diagnóstico positivo, quando foi convencionado que a pessoa se livrar do vírus, somente após essa data a pessoa pode tomar a vacina.


Posso tomar a vacina da gripe junto com a vacina contra o novo coronavírus?

Não! Ainda não existem estudos feitos para a junção das duas vacinas, a recomendação do Ministério da Saúde é que exista um intervalo de 14 dias entre a aplicação dos dois imunizantes. “Não há nada dizendo que existe perigo, mas, na ausência de estudos, o mais recomendado é que se respeite esse intervalo entre vacinas”, explica Isabella Ballalai, vice-presidente da SBIm (Sociedade Brasileira de Imunizações).

Como posso me prevenir da gripe e da Covid-19?

A prevenção contra ambas doenças também são semelhantes, a única diferença é que com a covid-19 o uso de máscaras é obrigatório e sua troca é necessária a cada 4 horas, use uma máscara para proteger os outros, até mesmo se/quando você precisar procurar atendimento médico. veja todos os outros cuidados a serem tomados: 

  • Caso haja sintomas leves, não saia de casa e entre em contato imediato com um médico via internet e peça orientações sobre o que deve ser feito em relação aos sintomas apresentados. A OMS não recomenda a automedicação, incluindo ingestão de antibióticos, como prevenção ou cura da COVID-19, Qualquer remédio deve ser utilizado com prescrição e orientação médica. Não recomendamos o uso de medicação por conta própria. Os medicamentos de uso contínuo, para outras indicações, também não devem ser suspensos por conta própria. Sempre procure orientação médica se você acha que pode ter Covid-19.
  • Lave bem as mãos e com o maior número de vezes que conseguir durante o dia, utilize água, sabão e caso não haja esses produtos, utilize álcool em gel 70%;
  • Quando tossir ou espirrar, cubra o nariz e a boca, de preferência utilize um lenço, caso não haja, utilize a parte interna do seu braço e depois descarte o lenço, lave as mãos conforme o passo anterior;
  • Caso esteja doente ou com suspeita, permaneça em casa e evite contato com os outros moradores que estão sem sintomas;
  • Mantenha os ambientes arejados, abra as janelas e deixe o ar puro entrar;
  • Evite tocar nos olhos, boca e nariz com as mãos sem a devida higienização;
  • Não divida objetos pessoais, tais como: pratos, talheres, copos, maquiagens, utensílios de higiene pessoal ou qualquer outro objeto seu;
  • Higienize objetos que são manuseados com frequência, tais como: celulares, óculos, bolsas, sapatos, computadores, garrafas entre outros;
  • Mantenha sempre a distância de pelo menos 1 metro de distância das pessoas, caso vá em lugares públicos, respeite a sinalização de distância que estão no chão do local;
  • Evite sempre aglomerações em qualquer circunstâncias, preserve sua vida, de quem você ama e de outras pessoas ao seu redor.
  • Evite o contato com pessoas resfriadas ou com qualquer sintoma suspeito.

Alguns outros casos como rinite ou alergias podem ser caracterizadas como coronavírus, por conta do aparecimento de espirros, entupimento nasal e coriza, também podem confundir o surgimento de outras doenças. Se você já apresenta um quadro alérgico, deve ficar atento aos sinais e é necessário que continue o tratamento normal das alergias.Agora, quem nunca teve quadro de sinais alérgicos e está com os sinais, é necessário ver se algo na sua rotina mudou, algum elemento como mudança climática ou exposição à poeira, por exemplo. Se há alguma dúvida sobre a causa, e claro, a persistência desses sintomas, o mais recomendável é sempre buscar ajuda médica.

Por isso, sugerimos a Telemedicina do Hospital Albert Einstein, o atendimento é 100% online, com apoio médico 24 horas por dia no conforto da sua casa. Por apenas R$45,90 por mês você tem garantido acesso aos melhores médicos e cuidados rápidos com sua saúde.

Gostou do nosso conteúdo e da nossa dica de atendimento? Nos siga nas redes sociais e aproveite para falar com um de nossos especialistas!

Veja também: