Seguro para bicicletas: como contratar o melhor seguro bike?

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

Os ciclistas pediram, a Pluralitá atendeu: aqui está um guia completo sobre seguro para bicicletas. 

O Seguro Bike, como chamamos por aqui, é uma das modalidades mais procuradas atualmente. Afinal, com a popularização das bicicletas como meio de transporte, as pessoas passaram a procurar seguros para pedalar mais tranquilas, sem medo de perder suas bikes.

Neste artigo nós falaremos um pouco sobre o mercado das bikes no Brasil e também explicaremos tudo o que você precisa saber para contratar seguro para bicicletas. 

Bicicletas para trabalho, transporte e lazer

As bikes são mesmo incríveis. Imagine só: as “magrelas”, além de opção de lazer saudável, ainda se tornaram meio de transporte seguro e até veículos de trabalho. Foi durante a pandemia que as pessoas passaram a dar mais valor ao pedal e o mercado percebeu esse movimento.

Hoje, o Brasil é o quarto produtor de bicicletas no mundo, com aproximadamente 4 milhões de unidades ao ano. O mercado de bikes sofreu um pouco no começo da pandemia, em 2020, mas logo no segundo mês de isolamento, as vendas registraram altas históricas.

Além de ser o meio de transporte mais seguro contra a covid-19, segundo a Organização Mundial da Saúde, as bicicletas são a principal ferramenta de trabalho dos cicloentregadores, serviço que se tornou essencial durante a pandemia.

As bicicletas preferidas pelos ciclistas

Os ciclistas brasileiros continuam preferindo as chamadas bicicletas de entrada, com valores que variam entre R$ 800 e R$ 2 mil. São elas os destaques no uso urbano, seja como meio de transporte, para prática de atividades físicas ou para lazer. 

Entre os modelos intermediários, R$ 2 mil e R$ 5 mil, também houve certo crescimento em 2020. Entre elas, o destaque vai para as mountain bikes, um modelo com muita aceitação no Brasil. Para a Aliança, o dado demonstra uma mudança no perfil de consumo, mas ainda não é possível confirmar se se trata de uma tendência para os próximos meses. 

A novidade do setor são as bicicletas elétricas. Elas ainda representam uma pequena participação no total de bikes comercializadas anualmente, mas seu ritmo de crescimento vem se mantendo. O mais interessante é que elas não competem com as bicicletas tradicionais, mas com os carros. Estima-se que 56% das pessoas que utilizam bikes elétricas para trabalhar ou estudar costumavam se deslocar de automóveis. Os dados são da Aliança Bike.

Os números do mercado de bicicletas no Brasil

  • A faixa média de preço da maioria das bikes vendidas fica entre R$ 800 e R$ 2 mil
  • O Brasil tem, hoje, 8.936 estabelecimentos que fazem comércio varejista de bicicletas, equipamentos e acessórios
  • 22% desses estabelecimentos está concentrado no Estado de São Paulo
  • O comércio varejista de bikes no Brasil emprega 14.147 pessoas
  • 44% desses trabalhadores estão no Estado de São Paulo
  • Em junho de 2020 foram vendidades 15.777 bikes elétricas no Brasil, 28% a mais do que o mesmo período em 2019

Como funciona o seguro para bicicletas?

Agora que você já conhece, em números gerais, o mercado de bicicletas no Brasil, está na hora de entender um pouco mais sobre o Seguro Bike.

Primeiramente, você precisa saber que o seguro para bicicletas se assemelha muito a um seguro veicular, por exemplo. Portanto, se você já tem prática na contratação de seguros, não precisa se preocupar com o Seguro Bike.

Na sequência desse capítulo, você descobrirá as três etapas que envolvem um seguro para bicicletas. Elas variam um pouco de acordo com a seguradora escolhida, mas vale a pena conhecer o básico desse processo.

Primeiro, a seguradora precisa verificar a situação

Nessa primeira etapa para fazer um seguro para bicicletas, a seguradora faz uma verificação. É aqui que você vai precisar comprovar que a bike é realmente sua para poder fazer o seguro.

Essa parte é obviamente importante, pois garante que ninguém que roubou uma bicicleta, por exemplo, consiga contratar um seguro bike para ela.

Além dos seus documentos pessoais, a seguradora vai precisar de algo que comprove a compra da bike por você. São documentos válidos para contratação de seguro para bicicletas:

  • Nota fiscal;
  • Recibo de compra e venda;
  • Fotos (geralmente com um código secreto);
  • Chassi da bike (como feito com automóveis);
  • Certificado de Transferência (como o da BikeHero, por exemplo).

A solicitação dos documentos para verificação do seguro, como dito anteriormente, varia entre seguradoras, mas você pode ficar tranquilo: a Pluralitá te ajuda em todo esse processo. Para solicitar seu Seguro Bike, basta clicar aqui.

Depois, vem a contratação do seguro para bicicletas

Outra vez, os processos podem variar de acordo com as seguradoras, mas os termos gerais costumam ser os mesmos.

O momento da contratação é quando o ciclista e a seguradora fecham um acordo para o seguro bike, normalmente mediados por uma corretora, como a Pluralitá. 

Nesse momento são discutidos os termos da “apólice”, que é o contrato entre as partes. É esse documento que contém todos os eventos em que sua bike estará protegida pelo seguro – chamados de “coberturas”. 

Sendo assim, você precisa pensar na forma como usa a sua bicicleta para entender quais são as melhores coberturas para o seu perfil de risco. Além disso, você também precisa definir o valor que pretende investir no seu seguro bike, chamado de “prêmio” na apólice.

O contrato de seguro para bicicletas, como tantos outros, também tem um período de vigência. Normalmente, ela dura um ano. Ao final, você escolhe se renova com a seguradora atual ou procura por melhores condições em outra prestadora.

Durante esse ano de vigência, você pode reclamar para a seguradora quando sua bike sofre qualquer um dos eventos descritos nas suas coberturas, os chamados “sinistros” – que terão um tópico exclusivo nesse artigo, logo abaixo.

O que você precisa saber agora sobre este processo é que, usualmente, sua apólice conta com um valor de “franquia” para cada cobertura. O valor da franquia é o mínimo de prejuízo necessário para você poder reclamar a indenização quando ocorre um evento segurado.

O processo descrito acima é chamado de Participação Obrigatória do Segurado, em que a seguradora indenizará 90% do seu prejuízo desde que você complete os 10% restantes.

Outra coisa que você precisa saber ao contratar seu seguro bike é que ele é intransferível. Isso quer dizer que, se você vender sua bicicleta durante a vigência do seguro, a cobertura contratada não beneficiará o novo dono. Nestes casos, você deve solicitar o cancelamento da sua apólice de seguros.

Mas, supondo que você venda sua bike para adquirir outra e gostaria de adicioná-la ao seguro para bicicletas, você pode solicitar um “endosso” em sua apólice, que é uma alteração nos termos do contrato.

Sobre os endossos, eles podem acontecer sem que seja cobrado nenhum valor adicional de prêmio. O único fator determinante para isso, caso todas as outras condições se mantenham, é o preço da nova bike. Se ela for mais cara, você provavelmente precisará pagar a diferença. Mas, se ela for mais barata, você também tem direito à restituição.

Outro momento em que um endosso é necessário é quando você sofre um dano parcial e é indenizado. Nestes casos, é necessário reintegrar o valor original da “importância segurada” – valor do bem segurado – na apólice. Afinal, sem essa reintegração, o valor pago de indenização já impediria uma nova indenização se viesse a ocorrer dentro do mesmo ciclo de seguro.

Sobre sinistros em seguro para bicicletas

Como já dito anteriormente, um sinistro é quando um dos eventos cobertos pela seguradora acontece. Ele é a razão pela qual você contrata o seguro bike. A gente nunca quer que algo ruim aconteça, mas contratamos seguros para que, se algo acontecer, não soframos tanto os impactos.

O sinistro é, portanto, o momento pelo qual você contrata a apólice de seguro para bicicletas. É contra ele que você está se protegendo.

Quando sua bike é furtada, roubada ou sofre algum dano, você sofre um sinistro. Se sua apólice de seguro contar com cobertura contra o que ocorreu, você será, então, indenizado pela seguradora de acordo com os termos do contrato.

Melhor aprender com um exemplo de sinistro, certo? Vamos supor que sua bike, coberta por um seguro para bicicletas, foi furtada. O furto, quando qualificado, é um evento comumente coberto nessa modalidade, então você fará contato com a sua seguradora para ser indenizado – falaremos mais sobre as diferenças entre furto simples e furto qualificado mais abaixo.

O primeiro passo quando você sofre um sinistro é avisar a seguradora. Isso pode ser feito por meio da sua corretora de seguros, aliás. Ela vai te ajudar a dar início ao processo de análise, que passa pela apuração do ocorrido, dos danos e elementos do sinistro e, por fim, dos termos para a indenização.

Aliás, fica a dica: contratar seguro para bicicletas por meio de uma corretora de seguros é sempre o melhor caminho. Assim você conta com ajuda especializada para lidar com a sua apólice. Para pedir um orçamento aqui na Pluralitá, é só visitar nossa página de Seguro Bike.

Como vários dos pontos mencionados acima, o procedimento de tratativa de sinistros varia de acordo com a seguradora. Outro fator relevante é o tipo de sinistro. Mesmo assim, de modo geral, as seguradores tentarão reunir o máximo de informações sobre qualquer tipo de sinistro, para determinar o pagamento da indenização.

É claro que esse processo demandará documentos, possíveis evidências adicionais sobre o ocorrido e outras informações. Fique atento! A seguradora pode negar indenização ao ciclista por não cumprimento das condições estabelecidas nas condições gerais de sua apólice de seguros.

Caso tudo esteja em ordem e o processo tenha se desenrolado bem, a seguradora efetuará o pagamento da indenização ao segurado. No caso do nosso exemplo, como se trata de um furto, esse valor será o valor total da bicicleta menos o valor da franquia – que a gente explicou logo acima o que é.

Em caso de sinistro, aqui vão algumas dicas para você aproveitar melhor o seu seguro para bicicletas:

  • Quando sofrer um sinistro, avise imediatamente a sua corretora de seguros; ela é a ponte entre você e a seguradora. É sempre bom contar com um especialista em momentos de crise, né?
  • Não esqueça de registrar tudo o que puder. Use seu celular para tirar fotos do local onde o sinistro ocorreu. Por exemplo: em caso de danos acidentais à sua bike, fotografe-a em detalhes. Caso sofra um furto, registre a corrente da maneira como a encontrou e guarde-a com você. Anotações também são essenciais! Não deixe nada sem registro, você pode acabar esquecendo de algo ou perdendo alguma informação importante!
  • Se puder, encontre testemunhas do ocorrido. Elas não são consideradas provas isoladas em apurações de sinistro, mas podem fortalecer seu caso. Peça a quem estava pedalando com você quando o sinistro aconteceu ou, se estiver sozinho, peça às primeiras pessoas que presenciaram o ocorrido.
  • Seja furto ou assalto, sempre faça o boletim de ocorrência policial. Essa será a sua maior evidência para solicitar uma indenização. Não se esqueça de mencionar suas informações pessoais e o chassi da bicicleta, para confirmar que a bike roubada realmente é a assegurada.

O que o seguro para bicicletas cobre?

Há muitas opções de seguradoras com seguro bike e a Pluralitá vai te ajudar a encontrar a que mais atende às suas necessidades. Para pedir um orçamento, é só clicar aqui.

Porém, por mais que a Pluralitá tenha um time de especialistas para te auxiliar, a gente descreve abaixo todas as coberturas oferecidas pelas seguradoras no Brasil para seguro de bicicletas. São elas:

Seguro contra roubo de bicicleta (assalto)

Normalmente, a cobertura contra roubos é o principal motivo pelo qual as pessoas contratam seguro para bicicletas. O crescimento da violência urbana causa esse receio nos ciclistas de todo o país.

Entretanto, antes de mais nada, melhor explicar uma confusão comum: qual é a diferença entre roubo e furto de bicicletas?

O roubo é quando sua bike é roubada em um assalto. É quando você é abordado pelo bandido que, com uso de força ou ameaça, leva sua bicicleta. O furto é quando sua bicicleta é levada fora da sua presença. Existem tipos de furto, mas a gente explica melhor no próximo tópico, em que a gente fala especificamente sobre furtos.

Quando você é assaltado, é muito importante ficar calmo e não reagir. O seguro para bicicletas com cobertura contra roubo te ajuda a não ficar nervoso nessa situação tão estressante. Basta entregar sua bike e, assim que puder, notificar sua corretora de seguros ou seguradora com a tranquilidade de que será indenizado pela perda.

Não se esqueça de registrar devidamente o roubo em um boletim de ocorrência policial. Esse é o principal documento solicitado pelas seguradoras para indenização em caso de assalto de bike. Como já dito acima, é essencial mencionar seus dados pessoais e o chassi da bike no B.O.

Ah! E é claro que, se você tem o apoio da Pluralitá, sua experiência será muito menos frustrante. Garantimos toda a assistência necessária para substituir seu bem o mais rápido possível! Conheça nosso Seguro Bike.

Seguro contra furto de bicicleta

A primeira coisa que você precisa saber sobre cobertura contra furto de bicicleta é que esse furto precisa ser “qualificado”. Isso quer dizer que há uma qualificação para o tipo de cobertura. O furto simples não é coberto por nenhuma seguradora no Brasil.

Mas, antes de partirmos aos detalhes sobre as diferenças entre furto simples e furto qualificado, vamos relembrar: furto e roubo são coisas diferentes! 

O roubo se dá por assalto, como já dito no tópico anterior. Neste caso, você tem contato com o bandido, que empregará força ou ameaça para roubar sua bicicleta. No furto, seja ele simples ou qualificado, a bike não estava em sua posse quando foi levada.

Agora que a gente já relembrou esses importantes conceitos do seguro para bicicletas, vamos ao principal deste tópico: qual é a diferença entre furto simples e furto qualificado?

A primeira delas a gente até já contou acima: o furto simples não é coberto por nenhuma seguradora no Brasil. As outras diferenças seguem abaixo:

  • Furto simples: é quando o bandido não precisa romper nenhum obstáculo para levar a sua bike embora. Ela estava lá, desprotegida, encostada em algum local público, e alguém passou e a levou.
  • Furto qualificado: é quando o bandido consegue furtar sua bicicleta mesmo tendo que romper algum obstáculo para tal. Podem ser considerados obstáculos o cadeado que você usa para prender sua bike (mesmo se estiver guardada em sua própria casa) ou o portão que o bandido tenha arrombado para acessar o local onde sua bicicleta estava guardada, por exemplo.

A indenização por furto qualificado de bicicleta pode passar por um processo complicado. Não há entendimento unânime sobre o assunto no meio jurídico, mas a gente tem algumas dicas que podem te ajudar a garantir uma indenização caso você passe por esse infortúnio.

  • Use um cadeado, trava ou corrente para proteger sua bike!

Os ciclistas mais experientes nunca saem de perto de suas bicicletas e, se porventura precisarem se ausentar, eles com certeza tem uma corrente, cadeado ou trava para garantir a segurança de suas “magrelas”. Mesmo em casa, na garagem do prédio ou no bicicletário do parque, garanta sua própria trava para garantir a cobertura do seguro.

Exemplos: Se você vai ao banco e deixa sua bicicleta bem na frente, presa por uma corrente a um objeto fixo. Caso alguém quebre a corrente e leve sua bike, você será indenizado, pois isso é um furto qualificado. Agora, se você deixa a bike desprotegida para entrar em um estabelecimento, mesmo que só por alguns segundos, e ela for levada, trata-se de um furto simples, sem direito à indenização.

  • Preste muita atenção a sua cobertura contratada

As apólices de seguro são contratos minuciosos, que descrevem exatamente as situações em que você está, ou não está, coberto. Portanto, se você escolheu um seguro que cobrirá apenas alguns locais para onde você vai de bicicleta, pode ser que eventuais sinistros em outros lugares não sejam cobertos. Além disso, preste bem atenção se você mora em apartamento. O seguros costumam cobrir o furto de bicicletas no seu apartamento, sua “unidade habitacional”, mas o espaço do condomínio não está incluído.

Exemplos: Se você tem seguro para sua bike somente na sua residência e no endereço do escritório, não estará coberto caso escolha levá-la em uma viagem e ela seja furtada. Mesmo no bicicletário do condomínio ou presa na sua vaga no estacionamento, você precisa prender a sua bicicleta com um cadeado, trava ou corrente. Ainda assim, fique atento a sua apólice para saber se você tem cobertura contra furto qualificado dentro do condomínio onde mora.

Para não se enrolar em toda essa confusão de furto simples e furto qualificado, fale com a Pluralitá para cotar seu seguro para bicicletas.

Seguro para bicicletas contra danos acidentais

Esta é a cobertura que indeniza os custos de reparo ou reposição de peças da bike em caso de acidente ou dano durante o transporte, assim como em caso de acidente enquanto pedala.

Se você danifica a sua bicicleta em um acidente enquanto pedala ou mesmo enquanto a está transportando no carro, você está seguro com a cobertura contra danos acidentais. 

Importante ressaltar: caso sua bike seja usada, há seguradoras que aplicarão, além da dedução do valor da franquia, uma taxa de depreciação. Fale com os especialistas da Pluralitá para saber quais seguradoras aplicam e quais não aplicam essa depreciação.

Aliás, no caso de um acidente de carro em que você danifique sua bicicleta, você também pode estar coberto se danificar também o carro ou machucar alguém que está envolvido no acidente. Esse é o caso da cobertura de Danos a Terceiros ou Responsabilidade Civil, que falaremos na sequência!

Seguro para bicicletas contra danos a terceiros ou responsabilidade civil

Essa cobertura prevê que a seguradora te indenizará pelos danos ou prejuízos – materiais ou corporais – causados a terceiros. Isso, é claro, dentro dos limites indenizáveis pré-estabelecidos na sua apólice.

Na maioria das opções de seguros, o valor da cobertura não ultrapassa o valor da bike. Além disso, ela costuma ser paga através de reembolso e pode ser necessário que a outra pessoa faça uma reclamação formal para que a seguradora a indenize.

Esta é uma cobertura que costuma ser esquecida ou até subestimada pelos ciclistas, mas pode ser muito útil. O exemplo que citamos no tópico anterior, do caso de um acidente de carro em que você está transportando sua bicicleta, é só uma das possibilidades.

A cobertura de Responsabilidade Civil vai te auxiliar em casos de atropelamento ou acidentes em trilhas, por exemplo, em que você precisará indenizar alguém que tenha se machucado por culpa sua, mas sempre considerando o Limite Máximo Indenizável de acordo com o valor do bem segurado. Vale considerar, né? Fale com sua corretora!

Seguro para bicicletas com cobertura para viagens internacionais

O cicloturismo ou mesmo a participação em competições amadoras são experiências vividas por vários ciclistas. Então, para proteger sua magrela, inclua no seu seguro bike a cobertura para viagens internacionais.

É simples: um seguro para bicicletas com cobertura para viagens internacionais garante a validade de todas as outras coberturas mesmo fora do Brasil. Algumas podem ter como cláusula excludente os acidentes em competições, então fique atento!

Seguro para bicicletas com cobertura contra acidentes pessoais

Este é uma cobertura que não protege a sua bike, mas sim um bem ainda mais valioso: a sua vida.

Com a cobertura contra acidentes pessoais, você garante uma indenização em caso de morte acidental ou invalidez permanente enquanto estiver pedalando com a sua bike. Ela não é muito comum, então pode ser que não esteja em todas as apólices de seguro para bicicletas.

Nós sabemos que você sempre toma todo o cuidado enquanto pedala, mas acidentes acontecem e seguros existem para isso, certo? Aliás, o custo desse tipo de cobertura costuma ser irrisório frente ao bem que visa proteger, portanto, fale com a sua corretora.

Seguro para bicicletas com cobertura Bike Bagagem

Se você costuma viajar com a sua bike, além da cobertura para viagens internacionais, você também vai querer a cobertura Bike Bagagem.

Com a Bike Bagagem você garante cobertura contra perda por extravio da bike sendo transportada por uma companhia de transporte aéreo ou terrestre, ou mesmo por transportadoras especializadas.

Mas fique atento: para ser indenizado por essa cobertura, você precisa comprovar a sua viagem com o ticket de embarque e fazer imediatamente uma ocorrência junto à companhia aérea ainda no momento do desembarque.

Em caso de mais dúvidas sobre coberturas de seguro para bicicletas, fale com a Pluralitá e conheça nosso Seguro Bike!

O que o seguro para bicicletas NÃO cobre?

Agora que você já sabe tudo sobre o mercado das bicicletas no Brasil, como funciona o Seguro Bike, os procedimentos de verificação, contratação e sinistro nos seguros e todas as coberturas oferecidas para as magrelas, que tal ficar atento sobre o que nunca é coberto pelas seguradoras?

Pois é, além do Furto Simples, que você já sabe que não é coberto por nenhuma seguradora, há outros casos e comportamentos que não são indenizados por nenhuma opção de seguro para bicicletas.

Abaixo, descrevemos tudo o que o seguro bike não cobre, mas você pode tirar todas as suas dúvidas sobre contratação de seguro para bicicletas falando com a Pluralitá. Basta clicar aqui!

Furto simples não é coberto em seguro para bicicletas

Nós já explicamos anteriormente neste texto sobre a diferença entre furto simples e furto qualificado e porque o primeiro não é coberto por nenhuma seguradora no Brasil. Se quiser, você pode ler mais no capítulo “O que o seguro para bicicletas cobre?”, logo acima.

De qualquer forma, aqui vai uma explicação rápida: o furto simples não é coberto por nenhuma seguradora porque, nesse caso, o bandido não precisa superar nenhum obstáculo para ter acesso à sua bicicleta.

Sendo assim, se você não prende sua bicicleta com um cadeado, corrente ou trava – ou mesmo se prende, mas de maneira errada – você está correndo o risco de ficar sem indenização em caso de furto.

Deterioração gradual e manutenção deficiente não são cobertas em seguro para bicicletas

É função do ciclista proteger sua bike e garantir que ela tenha a manutenção correta, com respeito aos prazos e peças. O seguro protege a bicicleta assumindo que o ciclista toma todos os cuidados possíveis para protegê-la também.

Portanto, fique atento a possíveis danos de deterioração gradual e mantenha as manutenções em dia. Assim você garante que está sempre coberto pelo seu seguro bike.

Seguro para bicicletas não cobre bike sob guarda de terceiros

Se pessoas que não forem citadas na apólice estiverem usando a sua bike no momento de um sinistro, você não será indenizado. Portanto, muito cuidado com quem você deixa sua magrela!

Algumas seguradoras até consideram cobertura sob guarda de terceiros sem menção na apólice, desde que esses tenham algum grau de parentesco com o segurado.

O ideal é falar com sua corretora sobre o assunto, para saber como funciona esse tipo de inclusão de terceiros na apólice de seguro para bicicletas.

Danos preexistentes não são cobertos por seguro para bicicletas

Lembra quando falamos sobre a etapa de verificação, que antecede a contratação da sua apólice de seguro? Foi no capítulo “Como funciona o seguro para bicicletas?”, caso queira reler.

Pois bem. É nessa verificação que a seguradora faz uma vistoria na sua bicicleta para garantir que ela esteja em ordem antes de efetivamente protegê-la. 

Logo, você não será indenizado por um dano que sua bike tenha sofrido antes da contratação da apólice.

Não há cobertura contra comportamento negligente do segurado em seguro para bicicletas

Aqui, partimos novamente do pressuposto de que a seguradora protegerá a sua bike desde que você mesmo também cuide dela. Sendo assim, ela não indenizará o segurado em casos em que fique provado que o ciclista foi negligente para com a sua bicicleta.

Seguro para bicicletas não cobre furto qualificado ou dano dentro do veículo transportador

Outra vez a polêmica do furto!

Pois é, a cobertura de furto ou dano na bike enquanto está no veículo transportador só é válida durante o transporte. 

Sendo assim, se sua bicicleta está dentro do carro estacionado, e você não está presente, a cobertura não é válida!

Quais seguradoras oferecem seguro para bicicletas?

Para uma resposta completa para essa pergunta, o melhor a se fazer é falar com uma corretora de seguros, como a Pluralitá.

Um time de especialistas poderá entender as suas necessidades e te fornecer uma lista de seguradoras que oferecem as coberturas que você precisa pelo valor que você decidiu investir.

E agora que você já sabe tudo sobre apólices de seguro para bicicletas, é só falar com a Pluralitá para receber uma cotação e escolher a melhor seguradora para você.

Veja também: